quinta-feira, 12 de julho de 2018

OFICINA DE RECRIAÇÃO “Modo de fazer o Bolo de Arroz”


OFICINA DE RECRIAÇÃO

“Modo de fazer o Bolo de Arroz”
PLANO DE SALVAGUARDA DO MODO DE FAZER DO BOLO DE ARROZ DE DIAMANTINA

O Bolo de Arroz é patrimônio imaterial de Diamantina, bem registrado homologado pelo decreto 0421 de 02 de dezembro de 2014. É distribuído anualmente no contexto das festas do Divino Espírito Santo e de Nossa Senhora do Rosário.

Convidamos os Servidores da Secretaria Municipal de Educação – Serventes Municipais para participar desta oficina. Pensou-se na necessidade dos mesmos terem acesso a este modo de fazer que faz parte da nossa cultura local, além de  ser instrumento facilitador de aprendizagem, já que o foco principal é mostrar para os envolvidos a importância da preservação dessa memória e posicioná-los como pertencentes dessa herança cultural, pois o Bolo de Arroz apresenta relevante valor histórico e cultural para a cidade.
                                        
            04 de agosto (sábado)                                        Inscrição Gratuita
            Das 08 às 12 horas                                           Os interessados ligar para
             Local:                                                                                 SECTUR – 3531-9537
         VEM- Vila Educacional de Meninas                                              Vagas limitadas   
                          
“Patrimônio é tudo o que criamos, valorizamos e
queremos preservar: são os monumentos e obras de arte,
e também as festas, músicas e danças, os folguedos e as
comidas, os saberes, fazeres e falares.
Tudo enfim que produzimos com as mãos, as idéias e a
fantasia”.
Cecília Londres











segunda-feira, 9 de julho de 2018

OFICINA DE RECRIAÇÃO DO MODO DE FAZER DO BOLO DE ARROZ



A Diretoria de Patrimônio Cultural, da Secretaria Municipal de Cultura, Turismo e Patrimônio, realizou no dia 29 de junho, na Vila Educacional de Meninas (VEM), oficina de recriação do modo de fazer do bolo de arroz. O evento é uma das ações do Plano de Salvaguarda do bem, patrimônio imaterial municipal, e nesta edição teve como público alvo a comunidade diamantinense.
Inicialmente, a historiadora do setor de Patrimônio Municipal, Márcia Dayrell França Botelho, relatou sobre a história do bem e a importância das oficinas de recriação, momento em que o saber é repassado. 
Houve apresentação das participantes, que expuseram sobre a motivação que as levou a participar da oficina. Uma delas, Sra. Sônia Aparecida de Oliveira, relatou emocionada: “eu nasci em Curralinho e lá eu tinha uma tia que era idosa e fazia bolo de arroz. Tudo que ela fazia, até mesmo o fermento, era artesanal e era algo muito delicioso. Fazia tabuleiros e o filho mais velho dela saía vendendo e a minha mãe comprava. Como eu era criança, ela só me dava um pedacinho e isso ficou na minha memória. Então eu nunca mais consegui comer de novo este bolo de arroz. Um pedaço maior! Uma fatia maior! Criança era sempre algo pequenininho. Hoje estou aqui motivada por este passado que trago comigo e quero comer este bolo de arroz novamente”.
Após as apresentações, a Coordenadora da VEM e detentora do modo de fazer do bolo, Ordália da Assunção Santos, expôs sobre sua trajetória no contexto da confecção da iguaria. Realizou pesquisas, buscou senhoras que confeccionavam o bolo e, até hoje, procura aprender sobre este alimento. Em seguida, deslocou-se com as participantes para a cozinha da Escola, onde os ingredientes já estavam separados e teve início a preparação do bolo.
Após a degustação, que foi preparada para as alunas, a Diretora Municipal de Patrimônio Cultural, Telma das Dores Pio Fernandes, agradeceu a presença de todas e realizou a entrega dos certificados de participação.
Crédito das fotos:  Beatriz Pimentel e Observatório Cultural de Diamantina/UFVJM