segunda-feira, 18 de junho de 2018

Modo de fazer do Bolo de Arroz





O modo de fazer do Bolo de Arroz muito representa para a sociedade diamantinense e lhe configura uma singularidade. A preocupação com a manutenção deste saber demonstra que ele está enraizado no cotidiano da sociedade, sendo parte de suas memórias afetivas e de suas referências histórico-culturais e identitárias. Ainda que este bolo de sabor marcante tenha menos espaço na dieta dos habitantes de Diamantina nos dias atuais do que já teve no passado, ele segue vivo em suas memórias e em suas celebrações. 

Não é possível precisar desde quando o bolo é preparado.  Evidentemente sua receita pode ter sido transmitida oralmente por inúmeras gerações, sem que seja possível obter registros. Algumas pessoas, SECTUR (2014, p.122) disseram ter ouvido tratar-se de bolo feito desde a época dos escravos ou da época dos índios.

Outrora vendido antes da missa da madrugada, era meio de subsistência de muitas famílias. Hoje é distribuído gratuitamente após a alvorada da Festa do Divino Espirito Santo e na Festa do Rosário dos Homens Pretos, e elabora sentido às festas junto as demais ações que se desenvolvem desde a preparação inicial até o momento final, manifestação que reconhecidamente é parte integrante do patrimônio cultural local, transmitido por gerações.
Atualmente a confecção do Bolo de Arroz na cidade de Diamantina, preservando em parte, sua receita original e os passos de sua confecção, vem sendo realizada pela Ordália, coordenadora da Vila Educacional de Meninas –VEM, que realizou pesquisa e buscou conhecimento para sua elaboração.
O Bolo de Arroz é patrimônio cultural diamantinense. Venha participar conosco das ações de recriação e fortalecimento deste bem. Conheça mais sobre o Bolo de Arroz de Diamantina.
Fonte: Secretaria de Cultura, Turismo e Patrimônio. SECTUR. Dossiê de registro do Bolo de Arroz de Diamantina. 2014.



Nenhum comentário:

Postar um comentário